quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Dia da saudade (ao quadrado)

Não sei se internacional ou se apenas uma “modernice” brasileira/portuguesa, mas amanhã, dia 30 de Janeiro comemora-se o dia da saudade. Durante o dia de hoje, durante as pausas no trabalho em que me dou ao luxo de pensar noutras coisas que não artigos científicos, silagens, micotoxinas, animaizinhos doentes e coleguinhas maluquinhos e preguiçosos, exercitei a minha mente pensando nas coisas (objectos, pessoas, momentos) das quais tenho saudades:

Não tenho saudades da infância, como a maioria das pessoas, pelo menos não por enquanto. Para mim voltar à infância significaria ter de estudar história e geografia e matemática e física de novo. E isso não é bom nem desejável.

- Tenho sim saudades de me rir como me ria nesses tempos em que a piada dos dois tomates que iam a atravessar a rua (…) parecia a coisa mais fascinante (e divertida!) do mundo.

- Tenho saudades de conseguir fazer 50, 100, 200 abdominais de seguida e de ter uma barriga lisinha e sem pneus Michelin. E de correr sem me cansar ou sem pensar que se me esforçar demasiado posso ter um “piripaque”.

- Tenho saudades de poder ficar a dormir até tarde, de não ter responsabilidade para além de manter a cama feita (e às vezes nem isso) e de poder fingir estar doente para receber a atenção da mãezuruga.

- Tenho saudade do leite-creme que a minha mãe fazia (com maizena!) quando estava doente.

- Tenho saudades de brincar com os papéis dos bancos, sem consequências, com as minhas amigas. De assinar uma data de papéis e de fingir ser uma mulher de negócios de sucesso. Agora assino uma data de papéis, mas tenho de os guardar religiosamente e de prestar muita atenção ao que lá está escrito. Geralmente assinar alguma coisa significa perder dinheiro!

- Tenho saudades de sair no Verão para a discoteca com as minhas amigas. Teresa, Rita, lembram-se do Algarve? Das “perninhas de frango”, do meu vestido florido, das noites no BlackJack, das manhãs seguintes no carro a gritar (Óh bom!!!) para os coitados dos velhotes  que estavam nas paragens de autocarro e nós acabadinhas de sair da disco…

- Tenho saudades das noites de estudo para nutrição animal, com 30 graus à noite e gafanhotos a entrarem pela janela e eu a esconder-me na casa de banho em histeria, das pausas “Karelia-slim”, das rondas de perguntas e dos bons resultados na pauta.

- Tenho saudades dos jantares com as minhas amigas e de parecer que temos todo o tempo do mundo para sair e para curtir a vida. Das sangrias no alguidar da roupa…

- Tenho saudades de ir aos concertos da Ivete Sangalo (inclusive a Famalicão, só porque sim!) e de saltar muito. Joana, Margarida, lembram-se?

- Tenho saudades de ficar com as minhas sobrinhas a ver filmes com toda a calma e paciência do mundo, porque no dia seguinte não tinha uma viagem de volta para “a minha outra casa/o meu outro mundo”.

- Tenho saudades dos cafés que duram a tarde toda, a apanhar sol, mesmo no Inverno, como se não houvesse mais nada para fazer.

- Tenho saudades de estar com as pessoas de corpo e de alma, sem pensar que o tempo é limitado, sem olhar para o relógio, sem ter de ir ver a agenda para saber se “tenho disponibilidade”.

- Tenho saudades de estar com a minha família sem ter de marcar uma viagem de avião com 4 meses de antecedência.

- Tenho saudades dos pensamentos de criança/adolescente, em que pensava que aos 25 anos ia casar e ter uma família. (Não, não é o que realmente quero, mas acho o pensamento uma fofura e acima de tudo ingénuo…).

- Tenho saudades de poder usar saltos altos sem me preocupar com a dor nos pés nem com a possível espondilose e de andar pela night sem casaco sem pensar na gripe do dia seguinte que me impedirá de ir ao trabalho.

Mas não se apoquentem, não quero voltar ao passado, nem estou deprimidíssima. Até porque na realidade, tenho uma vontade tão grande de viver o futuro, que o que tenho mais saudade é do que ainda está por vir!

Um beijo com saudades ao quadrado! E bom dia da saudade…

2 comentários:

Ana Rita disse...

Também tenho mtas saudades de algumas das coisas que disseste!
Bons velhos tempos...eu voltava a trás e refazia algumas coisas...Mas vá,um brinde ao futuro!
Beijinho

Pascoal, o Caribenho disse...

Gostei deste post....

... és loira mas és engraçada!

Beijo caribenho!