quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Vidas alheias…

Muito do meu tempo livre e de descanso tem sido a explorar esse maravilhoso mundo dos blogues alheios. Tenho já uma lista bastante grande de blogues que sigo religiosamente. Admito, sou uma cusca, mas prometo que é uma coscuvilhice saudável.  É engraçado ver como as histórias, principalmente as femininas, se repetem e como, mais volta menos volta, o tema “desgosto amoroso” vem à baila. Hoje fiquei boquiaberta com este post. Tão boquiaberta, que passo a citar:

“Então deixa ver se eu entendi, ok? Tu terminas o namoro comigo. Mentira, foi pior. Tu pedes-me um tempo porque “ah e tal, estou confuso e não sei quê, tretas”. Eu não dou tempos, porque tempos dão-se no futebol. Por isso é F, é I, é M, é FIM FIM FIM. Eu choro umas horas, vá uns dias, pronto, admito, foi um mês, mas passa. (…) e rematas com um “adorava que fossemos amigos”. Amigos? Amigos? A-M-I-G-O-S?? Ó meu amigo, amigos já eu tenho que chegue, obrigada. A porta da rua é ali, adeus e goodbye.”

Alheio - que pertence a outros; estranho, estrangeiro, exótico. Mas será que a vida alheia é assim tão alheia ou é também um bocadinho nossa? ou…Mmmm… será que ela sou eu e eu ainda não sei?

E é assim que se fazem “amigas” virtuais. Pessoas que não conhecemos mas que sentem o que nós sentimos. E assim vemo-nos menos sós neste mundo cruel. (Vá, foi uma frase poética! Vá, assim só um bocadinho?! Não??)

Um beijo com saudades…

12 comentários:

Ana Rita disse...

Adorei!
E não, não estás sozinha...
:)

Pedro disse...

Homens...esses eternos incompreendidos e incompreendedores!

Tu e as tuas amigas comentaristas alguma vez leram, "Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus", de John Gray? Diz-se lá que "Marcianos dão muita importância ao trabalho, aos desafios, às conquistas. Já as Venusianas gostam de conversar para criar relações e compartilhar sentimentos". Recomendo a leitura!

Em relação ao relato apresentado, sabem lá as razões pelas quais o mocinho pediu "um tempo"? Por certo estaria com problemas e precisou desse tempo para pensar neles.

Citando o livro: "Uma das maiores diferenças entre homens e mulheres é como eles lidam com problemas. Quando um homem está com um problema, ele se retira para dentro da sua caverna interna à procura de uma solução. Dentro da caverna, ele geralmente está confuso e está tentando resolver seu problema sozinho. Lá dentro ele está impotente para dar à sua parceira a qualidade de atenção que ela espera. As mulheres interpretam mal o silêncio de um homem".

Silêncio aqui no sentido de afastamento, por "um tempo", e isso foi tudo o que ele pediu!

Anónimo disse...

Depois de um comentário tão profundo do nosso amigo Pedro, nada mais posso dizer se não...
"Quem está mal que se mude!" E quem tem duvidas existenciais a ponto de precisar de isolamento e consequentes "conselhos" de um ombro amigo é porque está mal!!!
Outra frase muito tradicional..."Antes só do que mal acompanhada!"
Um beijo com saudade... Um não, cinco!!

Teresa disse...

Hum... Não sei se me convences! Eu sou mulher e também gosto de estar na minha "caverna" quando tenho problemas ouquando acho que preciso de pensar mas não seria capaz de pedir tempos... Porque tempos é para quem não tem coragem de se assumir... :) Penso eu de que... :)

Pedro disse...

Não foi minha intenção convencer, apenas interpretar, à luz da teoria da caverna. E também apoiar um pouco o coitado do desconhecido. Não dizem que os homens se defendem mutuamente (ao contrário do que se diz sobre as mulheres)? Pois fiz o meu papel!

Face a dúvidas alguns partem para a ruptura, outros escondem e vão
mantendo situações duplas (vulgo, "facadinha"), outros ainda pedem tempo. Feitios...

Ah, esqueci-me dos que falam abertamente sobre as suas confusões, que expõem a sua alma e
os seus pensamentos mais íntimos...os Marcianos...que não existem! :) :)

Nenas disse...

Pedro, acredita na semana seguinte comprei "Men are from Mars, Women are from Venus" (até comprei o original para não perder PITADA!!! e para não poder dizer that I was "Lost in translation". Quanto ao facto de se dizer que "as mulheres não se defendem"... aqui tens a prova do contrário. Elas saltaram logo em minha defesa. Porque elas são umas queridas... e minhas amigas e porque sabem bem da situação (e a maioria já esteve numa igual). Ao contrário dos homens que se defendem no matter what, baseados na teoria de que têm de se defender porque são todos do mesmo sexo. Mas adorei este debatezinho de ideias. Dinâmica de grupo. 'Bora todos beber uma jola, à pala da Nenas quando eu voltar a PT. Boa? :)
Beijo com saudade...

MI disse...

Ei, não sei se tou atrasado aqui na discussão ou não. Só queria mesmo essa jola...

ah e claro concordo com todos os comentários feitos pelos machos acima... Nós temos sempre razão, principalmente com uma jola nas unhas.

Pedro disse...

Ora bolas! A mulherada desiste assim da luta? terminam a discussão trocando os argumentos por uma jola? Tou desiludido! Mas enfim, como é à pala da Nenas... bora lá!

Anónimo disse...

Então e eu?! Uma pessoa experiente, ponderada e pacata, nada parcial e muito menos feminista... Que, acima de tudo não perde uma "jolinha" por nada deste mundo!!!
Já vi que ninguém viu o Caveman, pois deviam ver.
E para acabar com o debate e falando sério, coisa rara em mim, homens e mulheres fazem este maravilhoso Mundo. Mentiras e verdade sevem para apimentá-lo e debates como estes são fundamentais para nos fazer sentir vivos. O importante é que, mesmo em situações de dúvidas ou de crises existenciais sejamos honestos e muito, muito FELIZES!!!
Espero que guardem um brinde para mim.
Um beijo com saudade. Um não, cinco!

Pedro disse...

Apoiado Anónimo! E já agora envio também um beijo, esperando que na realidade seja uma anónimA! ;) ;)

Apelo à Nenas: escreve lá mais umas coisitas engraçadas e que permitam "luta", que é para estimular a escrita e mais tarde justificar uma grade de bjecas.

Teresa disse...

Só vi hoje a continuação deste debate! Gostei muito! :) E antes que o tempo acabe, sim, alinho na jola!:) Sim, somos diferentes, mas não queria acreditar que fosse pelo sexo, mas sim apenas por sermos pessoas diferentes... No entanto, a vida está quase a convencer-me de que o género é decisivo... Não sei bem...Eu pessoalmente, prefiro os honestos que dizem o que lhe vai na alma, mesmo que me deixe na merda. Pelo menos não me posso queixar de que me aldrabou... Mas pedir tempos, seja pedido por um homem ou por uma mulher, só mostra muita confusão, e se há confusão não há espaço para uma relação. Tempos é para quem quer deixar o outro numa prateleira enquanto descobre o quer da vida... Beijinhos aos intervenientes!!! :)

Anónimo disse...

Mulher ou homem??? Eis a questão!!!
Com o tempo perceberás quem sou...
Beijinhos!
Um beijo com saudade!! Um não, cinco!