segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Can’t live with them, can’t buy all of them.

De volta ao país que o sol esqueceu, aka Áustria, desde já peço mil desculpas pela negligência total da qual os meu queridos leitores têm sido alvo. A questão é que tem sido um regresso à realidade difícil. A semana passada tive compromissos sociais todas as noites que me impossibilitaram de vir aqui dar um ar da minha graça.

Outro dos motivos, talvez o mais grave, foi o facto da minha casa se ter tornado – assim de repente – uma imitação de cocheira/chiqueiro, com caixotes cheios de tralhas por organizar, roupa por passar e sapatos por arrumar (não por falta de tempo, mas por falta de espaço). Sobre este último ponto gostaria de focar a minha atenção nas próximas linhas.

Comecei a pensar que seria altura de frequentar alguma terapia, tipo Alcóolicos Anónimos, mas mais orientado para sapatos… Quiçá poderia fundar a minha própria associação “Sapálicos Anónimos”, “Sapólicos Anónimos”. Mas pesquisei na net e descobri que afinal não sou nada diferente das 15% de Americanas que possuem 30 ou mais pares de sapatos. Só com a diferença de que não sou Americana e que tenho mais de 45 (parei de contar por aí). Ah, mas eu cá não gosto deste tipo de estatística, aliás, acabo de criar um provérbio: para toda a média há um desvio-padrão!  E tenho dito! (E por aqui me fico prometendo doar alguns sapatos para a caridade. É que senão não tenho espaço para os exemplares que quero trazer de Nova Iorque). Muahahahah!

Um beijo com saudades…

3 comentários:

Teresa disse...

Tu devias ter vergonha! A falar em NYC dessa maneira!!!! :P Beijinhos!!!

Anónimo disse...

Para começar, bem vinda de volta!!!
Bem, acho que estás com sorte pois disseram-me que em N.Y. não se compram bons sapatos, mas podes ter a certeza que vamos iniciar uma data de coleções novas; Estou anciosa, Nós... N.Y.... Cartão de credito... E ainda por cima já não teremos os manos mais velhos.... Loucura!
E viva as novas coleções!!! Quantos exemplares de um determinado objecto serão precisos para se poder considerar uma coleção?!
Relactivamente à tua obra de caridade, será que, assim como os quilos que tinha a mais e que me diferenciavam de ti, também os meus pés diminuíram? Não tomes nenhuma actitude precipitada antes de eu ir aí a casa.
Um beijo com saudade.... Um não, cinco!

Calíope disse...

O segredo é NÃO contar. Eu sei que tenho muitos, mas não sei qts logo ainda tenho margem para pensar que me encontro dentro da 'normalidade'. Este sábado n comprei sapatos, mas em compensação, chegaram-me a casa blusas, blusinhas, casacos, tops e camisolas grossas, pq está frio, está claro! Mas a culpa é minha de serem saldos? de ser mais ou menos o meu tamanho? de serem as minhas cores preferidas? (e a minha preferida:) de eu estar mesmo mesmo a precisar de uns trapos novos?