quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Vão-se os anéis… ficam os dedos.

Infelizmente as fotos que publico hoje não são de um local paradisíaco qualquer. Até poderiam ser, uma vez que me encontro na Nova Zelândia. Deus escreve direito por linhas tortas e – após longas discussões – tive de viajar até Christchurch. Era suposto não vir, mas vim.

Pois foi a meio de um seminário onde se encontravam 70 pessoas que o camião passou. Parecia um camião daqueles grandes, só que em vez de passar, as vibrações tornaram-se cada vez mais intensas e atiraram copos, papéis e tudo pelo ar. Pela primeira vez poderia praticar o que ensinam na escola. Abriguem-se no vão de portas ou corram para a rua. Eu agarrei-me ao meu colega e ele sim, arrastou-nos porta fora. Seguiu-se outro abalo. Duas horas depois, continuava o seminário na rua, e outro abanão forte, mas lateral (e não para cima e para baixo como o primeiro). O som é impressionante. O que se sente nos pés indescritível… é como andar sobre ondas…

Não nos deixaram voltar ao hotel onde estavamos hospedados. Felizmente estavamos num recinto de madeira. Até hoje a cidade está fechada. O futuro dos meus 25 kg de bagagem para 4 semanas de viagem é incerto. O passaporte lá continua, aos pés da cama, junto com os outros documentos de viagem. Achei que estariam seguros lá.

Voei para o Norte da Ilha e continuámos conforme o planeado. As roupas/cosméticos e afins vão ser comprados consoante necessário. E assim vão-se os anéis e ficam os dedos.

O estado do local onde estavamos após o 1º sismo.

CIMG4679

 CIMG4682

Liquefacção – estranho fenómeno em que a lama/água começa a sair das brechas abertas. Inundou várias estradas.

CIMG4685

CIMG4690

CIMG4693

CIMG4698

CIMG4701

CIMG4704

E o estado da casa da senhora que nos acolheu. Outras pessoas não tiveram tanta sorte e perderam a casa.

CIMG4706

As fotos são minhas. Transmitem apenas uma parte do que foi.

As vibrações no chão nunca mais serão encaradas da mesma maneira.

E assim ganhei o melhor presente de anos de sempre: a vida (e história até à 5ª geração).

Um beijo com saudade.

4 comentários:

Anónimo disse...

Ganhaste tu e ganhámos nós!! Seja lá qual for o Deus que existe, existe!
Um beijo com saudade e seis corações apertadinhos!!!

Pedro disse...

Olá Inês.

Grande susto o teu e o que pregaste aos teus leitores! Isso não se faz!
Felizmente que ainda vai ser possível dar-te os parabéns por muitos e bons anos.

Pedro

Pedro disse...

Salvé, 2011/02/25

Parabéns!

não és só tu quem está de parabéns neste dia,
somos todos nós, os que te conhecemos...
os que sabemos que existes...
que partilhamos contigo o mesmo mundo...
a mesma curva do espaço-tempo...
que respiramos o mesmo ar...
aquecemos sob o mesmo Sol...
e contemplamos o mesmo mar

estamos todos de parabéns!

que fizémos para o merecer?
poder contemplar o teu rosto?
acompanhar os teus passos?
saborear as tuas palavras?
conhecer os teus pensamentos?

pobres daqueles a quem tudo isto foi negado,
aqueles que hoje não te desejam parabéns,
felizmente não sou um deles.
parabéns! ainda bem que nasceste

Bjs, Pedro

Pascoal, o Caribenho disse...

Fosga-se!